1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem avaliações)
Loading...

Calcule seu peso ideal de forma correta

0

Para saber com certeza o quanto você está acima do peso ideal, é preciso calcular o seu Índice de Massa Corporal. O Índice de Massa Corporal (IMC) é o padrão pelo qual você pode ver se seus níveis de gordura e peso estão dentro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde.

A fórmula é simples: chega-se ao resultado dividindo o peso da pessoa em quilos pela altura em centímetros, elevada ao quadrado.

Quando estamos acima do peso indicado, nos expomos ao risco de desenvolver vários males, como diabetes e problemas cardíacos.

Como Calcular o Imc

Mas lembre-se que quem está abaixo também não encontra-se em segurança, já que pode desenvolver doenças – neste caso, devido à subnutrição.

A ideia é observar o quanto você está distante da meta. Utilize seu resultado como informação para orientar novos hábitos. Mas, saiba que, apesar de ser preciso, o resultado deve ser referendado por um médico responsável.

Confira a tabela com os valores e o que eles representam:

Abaixo de 18,5 = abaixo do peso ideal

Entre 18,5 e 24,9 = peso ideal

Entre 25,0 e 29,9 = sobrepeso

Entre 30,0 e 34,9 = obesidade grau I

Entre 35,0 e 39,9 = obesidade grau II

Entre 40 e acima = obesidade grau III

É importante lembrar que essa tabela não é válida para crianças. O IMC infantil possui uma tabela específica que deve ser verificada ao longo do tempo. Isso porque as crianças têm tendência a emagrecer conforme vão crescendo.

A importância do cálculo de IMC para a saúde

A importância do índice de massa corporal assenta no fato de que através deste método podemos proceder a uma avaliação do nível de gordura do nosso corpo e dai identificar possíveis fatores de risco (tabagismo, alteração no colesterol, alteração do nível de açúcar no sangue, sedentarismo, hereditariedade, entre outros) para o desenvolvimento de doenças relacionadas com a subnutrição (inflamação nervosa, cegueira, anemia, diarreia, ulcerações bucais e gastrointestinais) e a obesidade (hipertensão arterial, arteriosclerose, insuficiência cardíaca congestiva, entre outras).

Como Calcular o IMC
Como Calcular o IMC

A identificação atempada de alguns destes fatores de risco, através do índice de massa corporal, permite a alteração de comportamentos e em último caso salvar a sua vida.

Quais os malefícios de um IMC descontrolado

Estar abaixo do peso ideal (IMC baixo) pode ser mais perigoso à saúde do que a obesidade, independentemente de outros fatores de risco, como tabagismo, consumo excessivo de álcool e drogas ou doenças terminais. É o que concluiu uma nova pesquisa do Hospital St. Michael’s, no Canadá.

Especialistas calculam se uma pessoa está abaixo ou acima de seu peso ideal a partir do índice de massa corporal (IMC), uma relação entre o peso e a altura de cada paciente. Pessoas com IMC menor do que 18,5 são consideradas como abaixo do peso ideal; com IMC de 25 a 30, com sobrepeso; e com IMC acima de 30, como obesas. O IMC estipulado como adequado é de 18,5 a 25.

No novo estudo, os pesquisadores revisaram 51 pesquisas que associaram o IMC e o risco de morte por qualquer causa. Segundo os resultados, estar abaixo do peso ideal aumentou em 80% o risco de morte em um período de cinco anos, em comparação com estar com o peso adequado. Já a obesidade elevou essa chance em 20% e a obesidade mórbida (IMC maior do que 35), em 30%.

De acordo com o estudo, alguns dos principais fatores associados ao baixo peso são desnutrição, consumo excessivo de álcool ou drogas, tabagismo e problemas de saúde mental. Os autores acreditam que os resultados servem como alerta a pessoas que restringem muito a alimentação ou que se exercitam exageradamente.

Dica de exercício e alimentação para manter-se saudável

Ter uma vida saudável, para muitas pessoas, significa apenas estar livre de doenças. No entanto, o conceito de saúde mais amplo abrange uma série de fatores e condições, como peso ideal, levando em consideração o biótipo individual, e disposição, por exemplo. Nesse sentido, os exercícios físicos e uma boa alimentação são os principais aliados, deixando qualquer pessoa mais saudável.

Entre os benefícios que a prática de exercícios promove, é possível destacar o fato de que eles tonificam os músculos, proporcionando maior resistência ao organismo. O coração é um músculo que ganha, e muito, com isso. Além de tudo, os exercícios melhoram a circulação sanguínea, reduzem o colesterol ruim e diminuem os riscos de doenças crônicas, como a diabetes e a pressão alta.

Entretanto, não basta apenas praticar atividades físicas. É preciso ir além e fazer da alimentação balanceada uma grande aliada à maratona de exercícios. Isso porque é necessário se alimentar de forma a suprir e fornecer ao organismo a energia necessária para se exercitar, sem estafa ou fraqueza.

Por isso, existem determinados alimentos que são mais ou menos indicados para quem pratica exercícios.

O carboidrato, por exemplo, é uma fonte de energia facilmente gasta e, portanto, deve ser consumido, em média, uma hora antes e depois dos exercícios. Ele é encontrado em alimentos como batata, macarrão, arroz integral e pão, por exemplo.

As proteínas ajudam no ganho de massa muscular e também são fontes de energia. Elas são encontradas em alimentos como leite, iogurtes, queijos, carnes, ovos e grãos. O melhor é que sejam consumidas bem antes da prática, de duas ou três horas, no mínimo, pois elas têm uma digestão lenta, assim como os alimentos gordurosos, e podem prejudicar o rendimento dos exercícios.

Além disso, é preciso consumir todos os grupos de alimentos, incluindo cereais, verduras, carnes, leites, leguminosas, garantindo uma alimentação saudável e bom desempenho nos exercícios. Lembrando que cada pessoa deve respeitar suas características físicas para consumir o que for necessário, sem prejudicar sua saúde, ganhando ou perdendo peso em excesso.

Recomendados para você:

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA